Mea Culpa: O verdadeiro significado das pinturas
imagens divulgação Netflix

O papel crucial das pinturas de Zyair em Mea Culpa vai além da trama legal, influenciando também a vida pessoal de Mea.

Mea Culpa, dirigido e escrito por Tyler Perry, instiga o público a questionar a culpabilidade de Zyair Malloy (Trevante Rhodes) por meio de uma série de pinturas

intrigantes. Este thriller jurídico, um desvio notável da comédia habitual de Perry, ganhou destaque ao entrar no Top 10 da Netflix e manter o primeiro lugar por

vários dias, apesar de críticas mistas. Enquanto os críticos podem ter sido hesitantes, o público tem sido ávido em busca de respostas para os mistérios deixados pelo

filme.

A trama segue Mea Harper (Kelly Rowland), uma advogada enfrentando uma crise conjugal com Kal Hawthrone (Sean Sagar), em meio à interferência de sua mãe

controladora, Azalia (Kerry O’Malley), e seu irmão mais velho, Ray (Nick Sagar). Quando o artista Zyair Malloy a aborda em busca de representação legal em um

caso de assassinato, apesar dos esforços de Ray e Azalia para dissuadi-la, Mea aceita o caso. No entanto, ela logo se vê envolta em uma rede de enganos e

manipulações psicológicas. As pinturas de Zyair, habilmente empregadas no filme, desempenham um papel crucial na trama, enganando tanto Mea quanto o

público, e carregam um significado profundamente importante para a narrativa.

 

|    RELACIONADO:

Mea Culpa: O que aconteceu com Charlise “explicado”

 

 

“Todas as mulheres íntimas retratadas por Zyair em suas pinturas”

“Registros pictóricos: Zyair documentou suas conexões íntimas através da arte.”

Quando Zyair foi introduzido em Mea Culpa, enfrentava acusações de homicídio de sua namorada, Hydie, sendo processado por Ray, o promotor público. Consciente

de que ter sua cunhada defendendo um “assassino” poderia prejudicar sua carreira, Ray procurava ampliar sua influência. No entanto, Mea concordou em

representar Zyair, cujo caso revelou-se mais complexo do que ela antecipara. Zyair insistia em sua inocência, afirmando não ter conhecimento do que acontecera

com Hydie, mas a dinâmica entre ele e Mea tornou-se complicada quando sentimentos mútuos começaram a surgir.

Em uma noite marcada por supostas evidências de infidelidade de Kal, Mea cedeu aos seus sentimentos por Zyair, resultando em uma relação íntima entre eles em

seu apartamento. Ao acordar, Mea encontrou uma pintura dele sobre a cama, estrategicamente posicionada para que ela a visse ao despertar. Preparando-se para o

tribunal, Mea encontrou Renee Wilson (Angela Robinson), proprietária de uma galeria de arte que se recusou a retirar as pinturas de Zyair. Descobriu-se que Renee

mantinha um relacionamento íntimo com Zyair, como evidenciado por um retrato seu no dossel da cama.

Renee revelou a Mea que a tela escondia várias camadas de engano, fornecendo uma pista crucial. Ao chegar ao apartamento de Zyair, Mea arrancou sua própria

pintura da tela para revelar retratos de outras mulheres por baixo, descobrindo que Zyair havia retratado cada uma de suas parceiras íntimas, sejam emocionais ou

puramente físicas, usando a mesma técnica de “sedução” com cada uma delas.

 

A reviravolta de Charlise foi insinuada desde o início de Mea Culpa.

Uma observação de Ray insinuava a ligação entre Charlise e Zyair.

Mea e Charlise chorando lá fora em Mea Culpa.

Hydie, Renee e Mea não foram as únicas mulheres associadas a Zyair. Uma das reviravoltas cruciais em Mea Culpa envolveu Charlise (interpretada por Shannon

Thornton), esposa de Ray e cunhada e amiga de Mea. Durante o clímax do filme, enquanto estava na residência de Ray e Charlise, Mea descobre uma pintura em

uma sala iluminada por luz vermelha, com a camada superior descascada. A obra é de Zyair, e sob a primeira camada encontra-se um retrato de Charlise, revelando

que, assim como Mea, Charlise teve um relacionamento com Zyair em algum momento.

Esta reviravolta na história de Charlise foi sugerida desde o início de Mea Culpa. Após um jantar em família no aniversário de Azalia, Mea menciona a presença de

Zyair no mesmo restaurante. Ray rapidamente comenta que Charlise insistiu em adquirir duas pinturas do artista e se recusou a se desfazer delas mesmo após Zyair

ser acusado de assassinato. No entanto, ele sentiu que era necessário descartá-las enquanto estava envolvido no processo do caso. A reviravolta final revela que Ray

estava ciente do relacionamento entre Charlise e Zyair, e foi ele quem moveu as acusações contra Zyair.

 

Por que Zyair desfigurou sua pintura de Hydie

A pintura danificada de Hydie poderia ter sido usada como evidência incriminatória contra Zyair.

Quando Mea finalmente se deparou com o retrato de Hydie, ela notou que havia sido vandalizado por Zyair. Sobre a obra, ele havia pintado as palavras "morra, sua
vadia, você arruinou minha vida". Mea percebeu que esse vandalismo poderia ser usado como prova incriminatória contra Zyair, adicionando-se a outras evidências

que pintavam um futuro sombrio para ele. No entanto, embora Zyair tenha desfigurado a pintura, isso não implicava diretamente em seu envolvimento no

assassinato. Na verdade, fazia parte do plano de Ray para destruir Zyair devido ao seu relacionamento com Charlise. Ray induziu Hydie a gravar um vídeo alegando

estar em perigo por causa de Zyair, quando na verdade ela estava na República Dominicana, trabalhando em um hotel.

Com a ajuda de seu amigo e detetive particular de confiança, Jimmy (interpretado por Ron Reaco Lee), Mea conseguiu provar a inocência de Zyair e expor os planos

de Ray e Azalia, resultando na libertação de Zyair e na limpeza de seu nome. As pinturas de Zyair desempenharam um papel crucial na trama de Mea Culpa, e se Mea

não tivesse desvendado a verdade por trás delas, poderiam ter sido usadas para acabar com a vida de Zyair.

|  RELACIONADO:

Mea Culpa: Final Explicado

Respostas de 2

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verified by MonsterInsights