One Piece: O Arco Alabasta, Explicado

“A Impactante Batalha dos Chapéus de Palha contra o Senhor da Guerra Crocodile e suas Consequências em Alabasta”

Explorando o clímax da Saga Alabasta, a segunda na série, o Arco Alabasta marca um ponto crucial na jornada inicial dos Piratas do Chapéu

de Palha pela Grand Line, que teve início com o Arco Reverso da Montanha. Ampliando a escala, os riscos e o drama presentes em todos os

arcos de história anteriores, Alabasta foi um marco decisivo para One Piece, de Eiichiro Oda, e serviu como modelo para praticamente todos

os grandes arcos de história que se seguiram.

Após suas aventuras em Whiskey Peak, Little Garden e Drum Island, os Piratas do Chapéu de Palha – acompanhados pela Princesa Nefertari

Vivi e Karoo – prosseguiram com sua investigação sobre o iminente golpe de estado tramado pela misteriosa organização conhecida como

Baroque Works. Apresentando novos aliados e adversários, Alabasta combinou ação e narrativa cativantes com temas de fome, revolta

política e corrupção. Além disso, introduziu vários elementos-chave da tradição de One Piece, que teriam um impacto significativo

posteriormente na série.

 

|  RELACIONADO:
 

Um reino à beira da ruína

As primeiras indicações do Arco Alabasta foram estabelecidas já no Arco Whiskey Peak, onde os Chapéus de Palha encontraram Nefertari

Vivi e seu aliado Igaram. Ambos se infiltraram nas fileiras da Baroque Works para desvendar o esquema da organização de derrubar a família

real do Reino Alabasta. Após enfrentarem uma série de agentes da Baroque Works, a tripulação tomou conhecimento da crescente

conspiração contra o governo de Alabasta e decidiu ajudar Vivi em sua missão para salvar seu reino. Esse desenvolvimento também marcou a

primeira aparição de Nico Robin, sob o pseudônimo de Miss All-Sunday.

Assim como em arcos anteriores, como Syrup Village ou Arlong Park, a trama começou com Luffy concordando em ajudar alguém

necessitado. No entanto, a escala e os perigos deste conflito eram diferentes de tudo que a tripulação havia enfrentado anteriormente. Os

confrontos subsequentes com os agentes da Baroque Works, como Sr. 5, Sr. 3, Miss Valentine e Miss Goldenweek em Little Garden,

revelaram mais sobre a verdade por trás dos eventos em Alabasta, antes que a tripulação finalmente chegasse à costa do país. Pouco antes

disso, uma breve parada em Drum Island trouxe uma nova adição à tripulação na forma de Tony Tony Chopper, que se tornou o médico do

grupo. Ao chegarem ao Reino Alabasta, Luffy e seus companheiros enfrentaram uma jornada desafiadora, lidando com forças que

representavam uma ameaça iminente e poderiam destruí-los sem hesitação.

 

A estratégia sinistra do crocodilo pelo poder

A faísca que desencadeou toda essa saga foi o plano elaborado por Crocodile e seus subordinados na Baroque Works para desestabilizar o

governo de King Cobra. Crocodile concebeu a “Operação Utopia” – um estratagema para posar como um herói do povo, enquanto, na

verdade, usava sua poderosa Akuma no Mi Logia, a Suna Suna no Mi, para expulsar piratas invasores. Ao mesmo tempo, os agentes da

Baroque Works se aproveitaram das condições áridas do deserto de Alabasta, acusando King Cobra de desviar as escassas chuvas do país

para Alubarna, a capital.

Na realidade, o problema era causado por Crocodile, que utilizava suas habilidades da Akuma no Mi e o Pó de Dança para provocar uma seca

na região. Os agentes da Baroque Works encobriram isso, primeiro simulando um acidente onde o Pó de Dança foi descoberto

acidentalmente em uma das cidades do país, Nanohana. Em seguida, contrabandearam grandes quantidades para o palácio real em

Alubarna, comprometendo gravemente a credibilidade de Cobra. Quando os cidadãos de Alabasta começaram a culpar a família Nefertari

pela falta de chuvas, os agentes da Baroque Works se infiltraram em uma facção de rebeldes, incitando a revolta.

Quando os Chapéus de Palha chegaram ao país, a faísca da rebelião já havia se transformado em um incêndio violento, e a batalha final pelo

reino era iminente. Crocodile manipulou um agente da Baroque Works no exército real para atirar “acidentalmente” nos rebeldes, além de

plantar uma bomba com um raio de explosão de cinco quilômetros para detonar no centro da área onde a batalha era esperada. Seu objetivo

era tomar o trono da família Nefertari e descobrir o paradeiro da Arma Antiga Pluton, que se dizia estar escondida em Alabasta.

 

A guerra pelo reino do deserto

A guerra civil logo irrompeu quando as tensões entre os rebeldes e a guarda real atingiram um ponto crítico. Este arco marcou a primeira vez

que Luffy enfrentou um oponente significativamente mais forte do que ele, tanto que foram necessárias três tentativas para finalmente

derrotar Crocodile. Cada uma das batalhas iniciais contra o Senhor da Guerra deixou Luffy à beira da morte, e foi apenas pura sorte que o

permitiu sobreviver em ambas as ocasiões.

Não é exagero dizer que a batalha de Alubarna foi um espetáculo digno da preparação que a precedeu, repleto de momentos significativos

para os Chapéus de Palha. Desde Zoro aprendendo a cortar aço contra Mr. 1 até a improvável vitória de Nami sobre Miss Doublefinger, cada

confronto individual da tripulação destacou o quanto eles haviam crescido desde que se juntaram a Luffy em sua busca para se tornar o

próximo Rei dos Piratas. A tensão era palpável e os golpes finais foram enfáticos, com a estratégia inventiva de Luffy de usar a umidade

contra Crocodile se tornando um momento icônico que influenciaria a forma como Oda escreveria as batalhas finais para os arcos de história

futuros.

Um novo começo para a tripulaçãoNico Robin sentado no Merry Go

Após uma luta final épica entre Luffy e Crocodile na Tumba dos Reis, perto de um dos Poneglyphs secretamente escondidos de Alabasta, os

Piratas do Chapéu de Palha prevaleceram e restauraram a reputação da família Nefertari. Crocodile foi subsequentemente capturado e

enviado para Impel Down, com o Capitão Smoker e suas forças recebendo o crédito por frustrar sua conspiração, apesar dos protestos de

Smoker sobre o crédito merecido.

Enquanto a tripulação se despede de Alabasta, eles são confrontados com a difícil despedida de Vivi e Karoo, que optam por ficar para trás.

Este momento resulta em uma das cenas mais memoráveis do arco, quando a tripulação reconhece a eterna amizade com a dupla após a

épica aventura que compartilharam.

 

O que torna Alabasta tão importante?

One Piece A Princesa do Deserto e as Aventuras dos Piratas no filme Alabasta

Em retrospecto, a Baroque Works e seu enigmático líder, Mr. 0, proporcionaram uma oportunidade ideal para explorar pela primeira vez as

falhas do governo mundial em One Piece. Isso é evidente na maneira como o Capitão Smoker, um inimigo jurado da tripulação, optou por

temporariamente aliar-se a eles na batalha final em vez de se unir ao Senhor da Guerra Crocodile, que era aliado dos Fuzileiros Navais. Essa

escolha contribuiu para destacar o papel complexo dos Shichibukai na manutenção da ordem nos mares.

Alabasta trouxe à tona o irmão juramentado de Luffy, Portgas D. Ace, e os Piratas do Barba Branca, estabelecendo tramas que seriam

resolvidas no Arco Marineford. Além disso, este arco apresentou as Akuma no Mi do tipo Zoan usadas como armas, juntamente com

revelações cruciais sobre os Poneglyphs, o Século Vazio, a História Verdadeira e a Vontade do D., todas desencadeadas pelo envolvimento de

Nico Robim

Uma resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verified by MonsterInsights