Um Lugar Silencioso Dia Um: final explicado – Por que os Militares Destruíram as Pontes de Nova York?

Os militares em Um Lugar Silencioso: Dia Um tomaram medidas drásticas contra os alienígenas, ações que fizeram os espectadores se perguntarem por que exatamente eles fizeram aquilo.

   “ATENÇÃO: Este artigo contém spoilers importantes sobre o filme “Um Lugar Silencioso Parte 1”

Um Lugar Silencioso: Dia Um já gerou discussões sobre as ações militares contra as criaturas. A assustadora prequela, dirigida por Michael Sarnoski, acompanha a cidade de Nova York no primeiro dia da infame invasão alienígena mostrada nos filmes anteriores da franquia, um desastre global que dizimou a humanidade. A conquista é imediata e aterrorizante, e o mundo está em pânico, já que as criaturas atacam qualquer coisa que faça um som. Cada filme na linha do tempo da franquia Um Lugar Silencioso retrata até onde as pessoas vão para garantir sua sobrevivência e a de seus entes queridos.

O caos que se segue no primeiro dia causa pânico mundial, e a terrível ameaça que os alienígenas representam leva os militares a tentarem eliminar o problema chocante. As ações drásticas que eles tomam enfatizam o desespero da situação, enquanto o mundo enfrenta um evento sem precedentes de medo, perda e desesperança. Ver a invasão se desenrolar em Um Lugar Silencioso: Dia Um ilustra a catástrofe da conquista, retratando a linha tênue entre a ruína da humanidade e sua sobrevivência.

 

| RELACIONADO:

Um Lugar Silencioso: Dia Um: final explicado – Sam Está Vivo Ou Morto?

 

As pontes de Nova York foram destruídas para impedir que os alienígenas saíssem

Eliminando opções para a propagação dos alienígenas

Eric e Sam correm por Nova York no primeiro dia de Um Lugar Silencioso ainda

No filme, as pontes de Nova York foram destruídas para impedir que os alienígenas escapassem — o que pode parecer aleatório — mas cada filme revela o que os alienígenas podem e não podem suportar. Em Um Lugar Silencioso, descobrimos que os alienígenas têm audição ultrassônica e são suscetíveis a tons de alta frequência, enquanto em Um Lugar Silencioso: Parte II, os personagens e o público descobrem que as criaturas também não sabem nadar, tornando ilhas e barcos seguros de seu terror. Como eles não conseguem sobreviver na água, destruir as pontes, que eram os únicos caminhos que permitiam que os alienígenas se espalhassem e se expandissem, era necessário no momento.

O motivo por trás da demolição militar das pontes na cidade de Nova York era prender e conter os monstros em um setor — Manhattan — em vez de permitir sua propagação. Houve um anúncio por toda a cidade que alertou os cidadãos sobre a destruição das pontes, retratando a invasão como uma ameaça iminente que os militares não poderiam eliminar completamente de uma vez, mas sim um desafio que exigia planejamento estratégico. No pânico e caos que se seguiram em Um Lugar Silencioso: Dia Um, todos estavam fazendo esforços desesperados para impedir a invasão alienígena.

 

Um Lugar Silencioso: Dia Um Destruir as Pontes de Nova York Foi Inútil

Destruir as pontes tornou tudo mais difícil para todos

Apesar do esforço militar para conter os alienígenas em uma área específica, a destruição das pontes da cidade de Nova York pelo filme foi

inútil em retrospectiva. Considerando o quadro geral, a destruição foi absurda, pois os militares já sabiam que os alienígenas haviam

pousado em outros lugares ao redor do globo, não apenas em Nova York. Portanto, tudo o que a demolição fez foi limitar as opções para as

pessoas escaparem com segurança. As pontes teriam ajudado os sobreviventes a acessar barcos e outros métodos de transporte aquático para

fugir do caos que se seguiu em terra, mas a resposta dos militares à invasão alienígena transformou Nova York em uma armadilha.

otzads.net, 23104601857, DIRECT google.com, pub-9063486391387983, RESELLER, f08c47fec0942fa0

Destruir as pontes faz sentido em um cenário de invasão alienígena, já que os militares tentariam isolar a ameaça em um espaço para

eliminá-la. No entanto, essa tática só funcionaria se os alienígenas tivessem pousado apenas em Nova York. A disseminação global das

criaturas torna a demolição inútil, pois não apenas dificultou a vida de todos, mas também não fez diferença no final, já que as criaturas eram

uma ameaça mundial. O final de Um Lugar Silencioso: Dia Um adicionou conflito para os personagens ao destruir as pontes e criar um

novo conjunto de problemas.

Um Lugar Silencioso: Dia Um acompanha a carnificina de uma invasão alienígena repentina que deixa o mundo em um frenesi de medo, 

fazendo com que todos façam o que acharem necessário para sua sobrevivência. O ato dos militares de demolir as pontes tornou a vida de 

muitos muito mais difícil, impedindo o acesso à água, tornando o gesto inútil em sua tentativa de impedir que os alienígenas deixassem a 

cidade de Nova York. A expansão da narrativa da franquia de terror adiciona profundidade à história e pode se desenvolver ainda mais se 

filmes forem lançados sob diferentes perspectivas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verified by MonsterInsights