imagens divulgação Warner bros.

O veículo aéreo de referência em Arrakis é uma maravilha mecânica complexa com uma variedade de designs e explicações.

A estética desempenha um papel crucial no universo da ficção científica, podendo determinar o sucesso ou fracasso de uma obra. Embora não seja o único aspecto

relevante, uma filosofia de design distinta contribui significativamente para a narrativa. Um exemplo exemplar dessa inovação tecnológica fictícia é encontrado em

“Duna”, que apresenta uma série de elementos inventivos, desde os escudos Holtzman, que impactam o combate corpo a corpo, até os trajes destiladores, essenciais

para manter a hidratação dos sobreviventes no deserto. O ornitóptero, com seu voo assemelhado ao de um pássaro, torna-se o principal meio de transporte aéreo no

mundo de “Duna”.

Uma das vantagens de várias tentativas de adaptação fracassadas de um clássico é a oportunidade de explorar as diversas interpretações que o material original

inspirou. “Duna” (2021) e sua sequência são exemplos brilhantes de como revitalizar o clássico de 1965 de Frank Herbert. Embora adaptações anteriores possam ter

sido menos bem-sucedidas, elas revelaram as possibilidades latentes no texto original. Denis Villeneuve acerta em cheio ao combinar os efeitos especiais modernos

com o respeito pelo conhecimento transmitido pelas tentativas anteriores.

 

“Explorando o Conceito de Ornitorrincos: Uma Investigação Detalhada.

ornitóptero de duna
Os ornitópteros são veículos aéreos frequentemente utilizados em atmosferas planetárias, desempenhando principalmente o papel de aviões em vez de naves

espaciais, embora sejam capazes de realizar voos espaciais curtos. Conhecidos também como ‘tópteros, esses veículos têm capacidade para transportar

confortavelmente seis pessoas ou, de forma mais apertada, nove. Equipados com armas laser, explosivas e de mola, os ornitópteros são armados para diversas

situações, embora o uso de escudos em Arrakis seja considerado perigoso. São utilizados para uma variedade de propósitos, incluindo transporte de carga ou pessoal,

funções de guarda e até corridas esportivas. Suas representações visuais são variadas, com o filme de Villeneuve optando por aperfeiçoar um design icônico que se

assemelha a uma libélula, com asas movidas diretamente e capacidade de movimento em seis direções. Modelos mais antigos podem imitar pássaros, morcegos ou

até mesmo peixes. Uma exceção notável é o jogo para PC de 2001, que os retratou como jatos modernos.

 

“Origem e Criadores do Ornitorrinco: Uma Investigação Profunda”

O romance original de 1965 nunca detalhou a origem do ornitóptero, mas a Enciclopédia de Duna fornece explicações. Publicada em 1984, essa fonte de referência,

apesar de contradizer alguns elementos das sequências posteriores de Duna, ainda oferece detalhes intrigantes. De acordo com a Enciclopédia, os ornitópteros foram

concebidos por um prisioneiro político chamado Jehane Golitle, envolvido em uma rebelião fracassada contra o imperador Neweh. A maioria dos detalhes desse

evento histórico foi perdida ao longo do tempo. Golitle liderou uma equipe de cientistas e companheiros revolucionários sob o comando do Imperador, após falhar

em sua tentativa de derrubá-lo. Para manter-se nas graças do Imperador e evitar represálias, Golitle foi forçado a continuar inventando dispositivos

impressionantes. Após anos de esforço, ela desenvolveu uma aeronave artificial com a agilidade de um pássaro, criando e testando o primeiro ornitóptero ao longo

de cinco anos.

Os ornitópteros não foram imediatamente bem-sucedidos no mercado. Representaram uma mudança radical em relação às aeronaves existentes, o que gerou uma

barreira significativa à sua adoção. Embora os ornitópteros fossem indiscutivelmente superiores aos aviões ou helicópteros de asa fixa, suas características únicas

despertaram temor nas estruturas estabelecidas. O primeiro uso proeminente dos ornitópteros foi para voos esportivos pessoais. Ibrahim Holtzman, famoso pelo

Efeito Holtzman, tornou-se um piloto esportivo notável antes de sofrer um acidente fatal com um dos primeiros modelos. Alguns cidadãos ricos adquiriram

ornitópteros como veículos de transporte regional, mas o Imperador Neweh desejava que eles se tornassem ubíquos. Durante os primeiros 40 anos de existência, o

tempo de voo não era considerado para a obtenção da licença de piloto. Foi somente após a Jihad Butleriana, a guerra galáctica para erradicar as máquinas

pensantes, que os ornitópteros alcançaram todo o seu potencial. Sem a presença de software de piloto automático baseado em inteligência artificial, o ornitóptero

emergiu como uma solução eficiente para as necessidades de transporte.

 

“Desvendando o Funcionamento dos Ornitorrincos: Uma Análise Detalhada”

Timothee Chalamet e John Brolin em Duna

A explicação sobre o funcionamento dos ornitópteros varia dependendo da fonte consultada. A Enciclopédia de Duna oferece uma descrição mais detalhada.

De acordo com esse texto, os ornitópteros utilizam um organismo vivo chamado Heart Scallop para obter energia. O Heart Scallop é um molusco terrestre que pode

pesar mais de 300 quilos e se alimenta filtrando microorganismos do ar que respira. Jehane Golite descobriu a força e a flexibilidade do Heart Scallop e o conectou a

um conjunto de asas flexíveis, criando um motor que não requer combustível. Duas linhas elétricas controlam a ativação e desativação do bivalve, permitindo

alternar entre o voo de asa fixa e o voo de pássaro. Esse conceito não é mencionado no romance original de Duna, no qual os ornitópteros são descritos como jatos

saltadores que utilizam asas flexíveis para pairar e se controlar no ar.

 

“Ele interrompeu quando o Duque acionou os freios a jato. A nave se estabilizou enquanto suas caudas sibilavam antes de se calarem. As asas, inicialmente curtas, se estenderam no ar, adquirindo uma forma semelhante a uma concha. A embarcação se transformou em um ornitóptero completo quando o duque a inclinou, mantendo as asas batendo suavemente, enquanto apontava com a mão esquerda para leste, além do rastreador da fábrica.”

 

O ornitóptero é um elemento de design notável no universo de Duna. Embora não contribua significativamente para o desenvolvimento da narrativa, sua presença

não é dispensável. Duna habilmente molda grande parte de sua história por meio de recursos narrativos inovadores. Por exemplo, o Escudo Holtzman oferece uma

justificativa futurista para um mundo onde o combate corpo a corpo ainda é predominante como método de resolução de conflitos. O ornitóptero, por sua vez,

satisfaz simplesmente a necessidade de um meio de transporte aéreo, mas o faz com o talento criativo que os fãs esperam de um clássico.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verified by MonsterInsights