“Emma Stone brilha em Pobres Criaturas, de Yorgos Lanthimos, com sua personagem Bella no centro de uma jornada épica – Detalhes sobre o desfecho do filme.”

“Pobres Criaturas”, dirigido por Yorgos Lanthimos, conclui com Bella Baxter, interpretada por Emma Stone, encontrando uma nova vida na propriedade de Godwin (Willem Dafoe) após sua morte. A trama

acompanha Bella em uma jornada de transformação, desde sua origem estilo Frankenstein até se tornar uma mulher completa, enquanto ela enfrenta diversas experiências que moldam sua compreensão das

complexidades da existência. O desfecho de “Pobres Criaturas” marca a fuga de Bella da mansão de Alfie Blessington (Christopher Abbott), após reconsiderar seu casamento com Max (Ramy Youssef), devido às

tentativas de controle e ameaças de Alfie. Sentindo-se aprisionada e decidida a escapar, Bella acaba ferindo Alfie e o levando consigo. Com Godwin falecido, Bella realiza seu primeiro experimento: transplantar o

cérebro de Alfie por um de cabra. No desfecho do filme, Bella alcança sua versão de um final feliz: ela, Max, Felicity (outra criação de Godwin) e Toinette, sua amiga do bordel de Paris, passam a viver juntos na

propriedade de Godwin. Duncan não está presente, mas o desfecho de “Pobres Criaturas” indica que Bella está pronta para a próxima etapa de sua jornada.

 

|    RELACIONADO:

Aquaman: O Reino Perdido: Final explicado (em detalhes)

 

 

Desvendando o Experimento de Godwin e a Criação de Bella

Bella: Mais que uma Mera Experiência de Laboratório

Godwin Baxter, um cientista cuja própria história foi marcada por experimentos conduzidos por seu pai, não tinha inicialmente a intenção de criar alguém como Bella. No entanto, ao encontrar o corpo quase sem

vida de Victoria na costa após sua queda da ponte, ele viu uma oportunidade que não pôde ignorar. A perspectiva de realizar experimentos com Bella, transferindo a mente infantil de Victoria para o corpo de uma

mulher adulta, despertou seu interesse e permitiu que ele observasse de perto seu desenvolvimento.

Além do aspecto científico, Godwin enfrentava uma profunda solidão e ansiava por uma companheira. A relação que Bella estabeleceu com ele como figura paterna foi um bálsamo para sua alma, reacendendo em

Godwin sentimentos de amor paterno que ele nunca havia experimentado antes. Embora tenha sido criado em um ambiente cruel por seu pai, Godwin encontrou conforto no carinho e na presença de Bella,

amando-a genuinamente como uma filha. A existência de Bella e sua disposição para aprender trouxeram uma nova dimensão de alegria à vida de Godwin, preenchendo um vazio emocional que a ciência jamais

poderia suprir sozinha.

Ao entender Bella e compartilhar de sua jornada, Godwin encontrou um propósito maior que transcendeu os limites da pesquisa científica. Sem ela, ele teria permanecido perdido, obcecado apenas pela busca do

conhecimento, sem jamais conhecer o verdadeiro afeto e a conexão humana.

 

Por que Bella abandonou Max no altar em favor de Alfie Blessington

Alfie representava o único vínculo de Bella com seu passado como Victoria.

Bella Baxter era inquietantemente curiosa. Embora parecesse resignada à sua decisão de se unir a Max em matrimônio, sua sede por conhecimento e descoberta ainda não fora saciada. Especialmente ansiosa pela

verdade, especialmente após décadas de mentiras, Bella ansiava por desvendar os mistérios de sua vida anterior como Victoria. Quando Alfie Blessington interveio para interromper o casamento, Bella viu nele uma

oportunidade para desvendar os segredos de seu passado como Victoria, uma peça crucial do quebra-cabeça que ela ainda não havia decifrado.

Além disso, é plausível que Bella estivesse hesitante em relação a seu compromisso com Max, talvez não sendo esta a primeira vez que ela o deixara para explorar outras possibilidades e relacionamentos. Ela

poderia até mesmo ter sentido que uma vida ao lado de Alfie prometia mais aventuras e intrigas, mesmo que não planejasse uma permanência definitiva ao seu lado.

 

Bella opta por Max, apesar de sua breve partida com Alfie?

A vida romântica de Bella permanece ambígua no desfecho de “Pobres Criaturas”.

Bella Baxter (Emma Stone) olhando para Poor Things

“Não está claro se Bella irá se casar algum dia, após suas experiências com Duncan e Alfie.”

Bella abandona Max no altar, apesar de concordar em se casar com ele, optando por seguir com Blessington. No entanto, mesmo após sua fuga de Alfie, “Pobres Criaturas” deixa em aberto se

Bella eventualmente se casou com Max após retornar para casa. O desfecho do filme retrata a dupla em bom humor, sem indícios de ressentimento entre eles. Como mencionado anteriormente,

Bella e Max continuam a compartilhar suas vidas e a administrar a propriedade juntos. No entanto, permanece incerto se Bella decidirá se casar algum dia, considerando suas experiências com

Duncan e Alfie.

É plausível que essas experiências, aliadas à proximidade constante com Max, tenham levado Bella a perceber que eles podem estar juntos sem a formalidade do casamento, ou talvez apenas

como bons amigos.

 

Por que Duncan une Bella e Alfie apesar de seu desejo de estar com ela?

Duncan nunca teve um verdadeiro interesse afetivo por Bella.

Mark Ruffalo abraçando Emma Stone em Poor Things.

“Duncan estava ciente de que Bella tinha uma vida prévia a ele como Victoria, e reunir Bella com Alfie Blessington era sua forma de causar-lhe sofrimento.”

Duncan e Bella fugiram juntos e, inicialmente, desfrutaram de momentos felizes. No entanto, após as tentativas de Duncan de controlar Bella, ela decidiu que não poderia mais tolerar a situação e

o deixou. Após ser rejeitado repetidamente por Bella, Duncan se sentiu desesperado. Apesar de tudo, ele ainda desejava estar com ela, mesmo que fosse apenas para manter seu controle sobre ela.

Ao reunir Bella e Alfie, Duncan não tinha outro objetivo senão puni-la por não tê-lo escolhido.

Duncan tinha plena consciência da vida anterior de Bella como Victoria, e encaminhá-la para Alfie Blessington era sua forma de infligir sofrimento. Ele sabia que Blessington não a tratava bem e

tentaria manipulá-la, e Duncan encontrava satisfação na ideia de que Bella não seria feliz sem ele – pois se não pudesse tê-la, então faria com que ela se sentisse infeliz. Em sua perspectiva

distorcida, Duncan talvez estivesse tentando fazê-la perceber o quanto era bom com ele, mas, na verdade, estava agindo por puro egoísmo, preocupado apenas com seus próprios sentimentos

feridos.

 

O Significado Autêntico por Trás da Decisão de Bella de se Tornar Médica

Bella fez uma decisão monumental no desfecho de “Pobres Criaturas”.

Bella (Emma Stone) lendo um livro em Poor Things.

Próximo ao desfecho de “Pobres Criaturas”, Bella toma a decisão de se tornar médica. Após os eventos do cruzeiro e testemunhar as desigualdades da vida, Bella sente o desejo de fazer a diferença

no mundo à sua maneira. Optar pela medicina lhe proporcionaria essa oportunidade, ao mesmo tempo em que seguiria os passos de Godwin e daria continuidade ao seu legado.

“Tornar-se médica abriria caminho para que ela auxiliasse outras pessoas e, quem sabe, conduzisse experiências futuras, seguindo os passos de Godwin.”

Bella demonstrou sua habilidade cirúrgica ao lidar com Alfie, sugerindo que ela pode estar inclinada a continuar o que considera justificado. Além disso, tornar-se médica possibilitaria que ela

auxiliasse outras pessoas e, quem sabe, conduzisse mais experimentos no futuro, em linha com a trajetória de Godwin.

 

A Vida de Bella Antes de sua Morte e Ressurreição

Antes de se tornar Bella Baxter, ela atendia pelo nome de Victoria Blessington.

Emma Stone olha para a direita nas coisas pobres

“O renascimento de Victoria como Bella trouxe-lhe uma vida completamente nova.”

Antes de ser ressuscitada por Godwin, Bella era Victoria Blessington, uma mulher abastada que desfrutava de praticar crueldades com Alfie em relação à sua equipe. Ao contrário de Bella, que

ansiava por explorar todas as facetas da vida, Victoria parecia satisfeita em permanecer em casa ou envolver-se na alta sociedade. No entanto, a gravidez de Victoria causou uma mudança: ela

nutria um profundo ódio pelo bebê e, talvez, tenha começado a se sentir aprisionada tanto pela maternidade quanto pela vida em geral. Considerando que essa narrativa é fornecida por Alfie, e

não por Victoria, é possível que haja mais detalhes nesta história. No entanto, o renascimento de Victoria como Bella lhe proporcionou uma vida totalmente nova.

 

As Declarações do Diretor Yorgos Lanthimos Sobre o Final Feliz de Bella em “Pobres Criaturas”

O desfecho feliz de “Pobres Criaturas” surpreendeu muitos espectadores

Emma Stone em Poor Things lendo e brindando

“Pobres Criaturas” apresenta um desfecho surpreendentemente feliz, o que foi inesperado para muitos, considerando os trabalhos anteriores de Lanthimos, que não são conhecidos por

terminarem de forma otimista. Apesar de todas as complexidades envolvidas em “Pobres Criaturas” – desde as jornadas dos personagens até os cenários surreais e a trilha sonora – é Bella quem se

destaca em todos os momentos. O impacto de Bella foi tão significativo que, de acordo com Lanthimos e o roteirista Tony McNamara, ela influenciou a mudança do final de “Pobres Criaturas”.

Lanthimos e McNamara explicaram à Polygon que ser fiel a Bella significava ser “em última análise, fiel a uma ideia desse tipo de otimismo sobre a aventura da vida”, e foi isso que motivou o final

feliz de Bella em “Pobres Criaturas”.

 

As Alterações de “Pobres Criaturas” no Livro de Alasdair Gray

“Pobres Criaturas” é uma adaptação do livro de mesmo nome.

Emma Stone como Bella Baxter dançando em Poor Things

“Pobres Criaturas” é uma adaptação do livro de mesmo nome de Alasdair Gray, originalmente publicado em 1992. O filme apresenta várias mudanças significativas na premissa do romance,

embora ainda mantenha a essência da história. No livro, Bella já está casada com Max, chamado de Archibald McCandless, e não tem qualquer ligação ou relacionamento complexo com o Dr.

Godwin Baxter.

É Archibald quem revela a Bella os experimentos de Godwin e a verdade sobre sua existência. Inicialmente cética, Bella acaba se unindo a Duncan e embarcando em diversas viagens, sendo que

no livro suas jornadas se estendem até a Ásia Central e outras partes da Europa, além da França.

 

Como “Pobres Criaturas” se compara ao “Frankenstein” de Mary Shelley

“Pobres Criaturas” é profundamente influenciado por “Frankenstein”.

Emma Stone parada na neve em Pobres Coisas.

“Pobres Criaturas” surge como uma resposta ao “Frankenstein” de Mary Shelley, ao mesmo tempo que oferece uma crítica à era vitoriana. Enquanto “Frankenstein” aborda as repercussões de

ultrapassar os limites da ciência de forma inconsequente, também examina a mortalidade e a reação humana diante de uma criatura como o monstro de Frankenstein. “Pobres Criaturas” também

mergulha nos temas da mortalidade e da existência, indo além ao explorar questões de feminismo e identidade. A jornada de Bella se diferencia da narrativa de Frankenstein, pois ela navega pelo

mundo como uma mulher, com sua perspectiva influenciada por essa experiência.

Isso é especialmente evidente quando diversos homens tentam moldar sua mente e controlá-la para satisfazer seus próprios interesses. Embora “Pobres Criaturas” tenha uma inclinação satírica

mais pronunciada, Gray e Shelley compartilham, em essência, o interesse em explorar temas e questões fundamentais, como o significado da existência e da morte. Ambos os autores questionam

as normas sociais, embora “Pobres Criaturas” mergulhe mais profundamente nas experiências de Bella, enquanto ela enfrenta as desigualdades e complexidades da vida, confrontando-se com a

percepção distorcida daqueles que buscam manipulá-l

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verified by MonsterInsights