A escritora alemã Sandra Voyter é acusada de assassinar seu marido Samuel Maleski

       “ATENÇÃO: Este artigo contém spoilers importantes sobre o filme “Anatomia de Uma Queda”

Anatomia de uma Queda trata de uma questão importante – Sandra matou o marido?

O filme vencedor do Oscar de Justine Triet abriu as portas para um debate fascinante sobre a inocência ou culpa da personagem de Sandra Hüller, que enfrenta um julgamento exaustivamente longo onde seu casamento e toda a sua personalidade são colocados sob os holofotes.

Há outros mistérios no filme – o filho de Sandra, Daniel (interpretado por Milo Machado-Graner), inventou aquela conversa com o pai para ajudar no caso da mãe? – e ainda assim a questão central permanece: Sandra é culpada de assassinato?

Investigamos o final de Anatomia de uma Queda e a resposta a essa pergunta, que Triet e Hüller abordaram enquanto muitos espectadores corriam desenfreados com suas próprias teorias.

Se você ainda não viu um dos melhores filmes de 2023, talvez queira parar de ler.

O final de Anatomia de uma Queda deixa a questão da culpa de Sandra ambígua, mantendo a tensão e o debate vivos entre os espectadores. Triet e Hüller deliberadamente criaram uma narrativa que não oferece respostas fáceis, mas sim provoca reflexões profundas sobre a complexidade das relações humanas e a natureza subjetiva da verdade.

 

|   RELACIONADO:

Anatomia de Uma Queda: Final explicado: Daniel estava mentindo?

 

 

Explicando o final de Anatomia de Uma Queda: Sandra é culpada?

Primeiro, vamos recapitular: a escritora alemã Sandra Voyter é acusada de assassinar seu marido Samuel Maleski (interpretado por Samuel Theis), que foi encontrado morto na casa isolada da família na França após cair da janela de seu estúdio no último andar.

O filho deles, Daniel, de 11 anos, que é deficiente visual, encontrou o corpo ao voltar para casa depois de passear com o cachorro Snoop (interpretado pelo ladrão de cenas Messi), o que significa que não havia ninguém na casa além do casal quando a queda aconteceu e nenhuma testemunha para atestar a inocência ou culpabilidade de Sandra. Samuel caiu? Ele morreu por suicídio? Sandra o empurrou?

Durante o filme, nos aprofundamos no caso — ouvimos os poucos depoimentos, as evidências existentes e as especulações dos advogados sobre quem é o culpado por esta tragédia. A orientação sexual e a ambição profissional de Sandra são usadas contra ela, assim como uma discussão explosiva entre o casal (gravada por Samuel) que se desenrola no tribunal.

Na falta de provas concretas, o testemunho de Daniel inclina a balança a favor da sua mãe.

Ele lembra que fez um experimento depois de saber que seu pai havia supostamente tentado o suicídio, ligando o incidente ao adoecimento de Snoop. Daniel deu os remédios de Samuel para o cachorro e a reação foi exatamente a mesma, levando-o a acreditar que o animal comeu o vômito de seu pai, comprovando que a tentativa de suicídio ocorreu.

No julgamento, ele também conta uma conversa que aconteceu no carro a caminho do veterinário. Aparentemente, Samuel disse a ele que Snoop nem sempre estaria por perto, apesar do quanto ele o amava, o que Daniel interpreta como uma espécie de adeus. Ele acredita que seu pai queria tirar a própria vida e, apesar de suas dúvidas, acredita que sua mãe é inocente.

Sandra é absolvida e Anatomia de uma Queda termina, mas a questão principal ainda parece não ter uma resposta clara. Nem mesmo a atriz Sandra Hüller sabe ao certo, embora isso não tenha sido um obstáculo para sua atuação indicada ao Oscar. “Acho que queria criar alguém que fosse capaz de fazer isso, queria que certas pessoas tivessem um pouco de medo dela”, disse ela à Variety. “Por que sempre temos que ser doces e boas vítimas e todas essas coisas? Eu me diverti um pouco deixando isso no escuro.”

Hüller nunca se decidiu sobre a inocência de sua personagem. “Às vezes acordo à noite e penso: Ah, perdi alguma coisa. Talvez ela tenha feito isso. Mas não sei”, disse ela.

A diretora Justine Triet sabe se Sandra matou o marido ou não, mas não vai revelar essa informação tão cedo. “Eu vou te contar em 10 anos”, ela disse brincando a um jornalista após sua vitória no Globo de Ouro (via EW).

Durante a coletiva de imprensa, Triet disse que apenas ela e seu co-autor e parceiro Arthur Harari sabem a verdade. “Foi muito importante não falar sobre isso no set e com os atores porque não é o objetivo do filme e é ambíguo”, disse Triet, que observou que, embora “talvez ela não o tenha matado”, ela poderia ter dirigido Samuel ao suicídio.

“Há muitas possibilidades. Não é tão preto e branco”, acrescentou ela. Em entrevista para a CBC, Triet elaborou mais detalhadamente seus motivos para não revelar todos os detalhes da história. “Era muito importante para mim que a verdade não pudesse surgir no tribunal. Não surgirá e não surge. Me interessei por esse casal exatamente pelo fato de serem o rosto de algo que vai além de uma espécie de bem maniqueísta e o mal: há um bandido e um mocinho, e uma vítima e não”, explicou ela.

A cineasta francesa destacou que existem muitas zonas cinzentas sobre o que poderia ter acontecido entre Sandra e Samuel. “Acho que a coisa mais interessante que me disseram sobre este filme é que ela pode ser responsável sem ser culpada, ou pode ser culpada sem ser responsável”, explicou ela. “Ela poderia ser responsável por tê-lo levado ao suicídio sem ser culpada de tê-lo matado, ou poderia tê-lo matado sem querer - seja de forma impulsiva ou de qualquer maneira que possamos tentar imaginar. É muito complexo para ser compreendido aqui. Sem uma resposta oficial, tudo o que resta aos telespectadores é especular. E isso eles fazem.

Graças à atuação fascinante e em camadas de Hüller, muitos pensam que sua personagem conseguiu.

As constantes discussões do casal, focadas principalmente no ressentimento do sucesso literário dela (acusando-a de roubar suas grandes ideias) e no fato de ela culpá-lo pelo acidente que resultou na cegueira de Daniel, pareciam acaloradas o suficiente para se transformar em violência.

No entanto, provavelmente a teoria mais forte é que Samuel se matou, seja para incriminar a sua esposa (para se vingar dela) ou porque estava profundamente deprimido e infeliz com a sua vida. Alguns telespectadores apontaram a gravação de uma das discussões do casal (que ele claramente pressionou, buscando tirar sangue) como um sinal de que ele estava tentando incriminá-la. Mas talvez ele estivesse apenas tentando encontrar inspiração em suas próprias misérias e, no final das contas, isso era demais para suportar.

Ele também poderia ter caído da janela, embora isso fosse uma explicação anticlimática. Momento ruim também, pois aconteceu quando Daniel não estava em casa. Falando do Daniel – parece haver consenso sobre o fato de ele ter inventado a conversa do carro com o pai. Mas por quê? Em uma cena anterior, a cuidadora de Daniel, Marge, dá-lhe um conselho interessante, vendo que o garoto não consegue decidir em quem confiar. Ela diz a ele que quando você não tem certeza de algo, você só precisa decidir o que é verdade para você. Depois disso, ele inventa a história que acaba absolvendo sua mãe.

Acreditando na tentativa de suicídio do pai, ele jogou um osso para a mãe ao inventar uma conversa que a salvaria.
Não porque ele pensasse que ela era realmente culpada e precisava ser salva, mas porque as evidências, mesmo que pequenas, estavam se acumulando contra ela. Ainda assim, é apenas uma teoria.
O que realmente aconteceu não é realmente o ponto, no entanto. Anatomia de uma Queda é sobre como é difícil, na maioria das vezes, compreender a verdade quando a vida (e o sistema jurídico também) é feita de histórias e perspectivas que são reunidas para dar sentido às coisas que nos acontecem. Em última análise, como disse Marge, nós decidimos em que queremos acreditar.

Anatomia de uma Queda: Está disponível para transmissão no Amazon Prime Video

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verified by MonsterInsights