“Explicando o Significado da ‘Batalha Interior’ e o Confronto com o Desconhecido no Final do Podcast”

        “ATENÇÃO: Este artigo contém spoilers importantes sobre o filme O Podcast”

O Podecast” narra a trajetória de uma ex-profissional do jornalismo que enfrenta o desemprego devido a uma má decisão ao cobrir um evento. Agora, ela se

reinventa como uma produtora de conteúdo em áudio, apresentando programas que exploram fenômenos inexplicáveis pelo mundo, intitulados ‘Além da Crença’.

Em busca de novos temas para seu podcast, ela se depara com uma mensagem de remetente desconhecido. Enquanto sua audiência cresce, a trama se torna cada vez

mais envolvente. Entretanto, conforme a história toma contornos pessoais, a protagonista se vê em uma situação delicada.

 

|   RELACIONADO:

O Podcast (2023) Resumo do enredo e sinopse do filme:

O Podecast inicia com um relato de um homem sobre um evento envolvendo sua mãe e sua família quando ele era criança. Eles foram alvo de um fotógrafo

desconhecido, desencadeando uma série de acontecimentos que os levaram a contatar as autoridades. Quando solicitado pelo podcaster, o homem revela que não há

registros policiais sobre o incidente e que a câmera do fotógrafo foi perdida. Embora cética, a podcaster é confrontada com lembranças de erros passados em sua

carreira jornalística.

Em seguida, vemos a ex-jornalista, agora podcaster, oferecendo um pedido de desculpas público por falhar em verificar suas fontes antes de publicar um artigo

anterior. Ela agora apresenta seu podcast ‘Beyond Believable’, revisando as mensagens de voz e e-mails recebidos. Uma mensagem de voz afirma ter arriscado muito

para ajudá-la a recuperar sua reputação. Entre uma enxurrada de e-mails de ódio, ela nota um e-mail anônimo contendo a palavra “Bricks”, sugerindo que a verdade

está prestes a ser revelada.

O e-mail também inclui um número de telefone. Ao ligar, a podcaster anônima é atendida pela Sra. King. Após explicar sua profissão e o conteúdo do e-mail

anônimo, a podcaster pergunta à Sra. King sobre o enigmático "tijolo". Apesar da hesitação inicial da senhora, ela eventualmente concorda em compartilhar sua

história. Floramae revela ter trabalhado para alguém por muitos anos. Um dia, misteriosamente, todos os móveis do empregador foram arranhados, levando o

proprietário a acusar sua filha Paula. No entanto, mesmo Floramae duvidou da inocência de Paula, suspeitando que ela poderia ser a responsável. Como

consequência, ela foi demitida e, posteriormente, recebeu o tijolo. Floramae descreve o objeto como algo poderoso e negro. Os proprietários venderam o misterioso

tijolo preto para um colecionador de arte alemão para compensar as dívidas decorrentes dos móveis danificados. Quando a podcaster tenta indagar sobre a origem

do tijolo, Floramae se esquiva, mas expressa uma sensação de que algo relacionado ao tijolo ainda está incompleto.

A podcaster fica intrigada e decide ligar para o colecionador de arte alemão, Lang. Ela questiona se ele se recorda de ter adquirido um tijolo preto de um australiano

há muitos anos, o que Lang confirma prontamente, mencionando que possui vários deles. Lang revela que, ao receber o tijolo, ele estava em sua casa e, ao ser

digitalizado com uma tecnologia recente, diversos símbolos foram revelados dentro de cada tijolo. Ele acredita que o tijolo se comunica diretamente com ele.

Lang compartilha ainda que antes de receber o tijolo, ele experimentou visões estranhas, e desde então, o tijolo sempre pareceu ter uma conexão especial com ele.

Além disso, Lang recebeu o tijolo durante o período em que seu irmão faleceu, sem que isso lhe trouxesse qualquer sentimento negativo. Decidindo transmitir essas

revelações, a podcaster produz um episódio que rapidamente se torna um sucesso, com milhares de ouvintes ávidos por mais informações sobre o tijolo. Após a

transmissão do primeiro episódio, a podcaster recebe várias ligações de pessoas relatando que também receberam um tijolo.

Uma dessas pessoas é Laura, que compartilha suas próprias experiências com o tijolo, incluindo visões estranhas e uma perda de apetite inexplicável. Após uma

investigação mais detalhada, Laura considera quebrar o tijolo, mas sente que ele está tentando comunicar algo importante, e ela precisa entender. A podcaster

começa a mapear os diferentes locais onde os tijolos foram recebidos.

Em outra ligação, um homem adverte a podcaster para interromper o podcast, comparando o fenômeno do tijolo a uma doença contagiosa. Ele relata o caso de seu

avô, que recebeu um tijolo e, pouco depois, parou de se alimentar. Seu avô revelou ter tido um filho ilegítimo antes de sua morte, algo que ele desconhecia até então.

Antes de falecer, o avô foi encontrado murmurando desculpas para uma cadeira vazia, dirigindo-se à criança. Agora, seu próprio pai está enfrentando visões

semelhantes, e ele teme que também acabe recebendo um tijolo

A podcaster descobre um artigo antigo escrito por uma jornalista de Londres, Shiloh Lowden, que descreve uma pesquisa governamental conduzida há muitos anos.

Os sintomas mencionados na pesquisa são estranhamente semelhantes aos associados ao caso do tijolo preto, levando a podcaster a procurar a jornalista.

Lang, o colecionador de arte, envia varreduras antigas que ele fez anos atrás, e a podcaster solicita a um amigo do MIT, especializado em linguística, para analisá-las.

Ele confirma que os símbolos presentes nas varreduras não correspondem a nenhuma linguagem conhecida.

Um pacote é entregue à porta da podcaster, contendo um USB. Ao assisti-lo, ela se depara com um vídeo de seu próprio aniversário aos nove anos de idade, onde ela

menciona ter recebido um tijolo preto como presente. Essa revelação a deixa perturbada, e ela tenta contatar seu pai em busca de respostas. No entanto, ela começa a

apresentar sintomas de náuseas e outros desconfortos físicos. Enquanto recolhe papel picado espalhado, ela encontra um símbolo semelhante aos vistos nas

digitalizações enviadas por Lang.

A podcaster confronta Lang, suspeitando de uma possível armação, mas ele nega veementemente. Ela exige ver os tijolos pessoalmente, e Lang concorda, mostrando

sua vasta coleção. No entanto, durante a visita, Lang parece perder contato com a realidade, mencionando visões de seu irmão antes da ligação ser interrompida

misteriosamente. Enquanto isso, Shiloh Lowden entra em contato com a podcaster, oferecendo mais insights sobre a pesquisa antiga e incentivando-a a investigar

mais a fundo.

Ao analisar o vídeo do seu aniversário, a podcaster percebe algo peculiar, sugerindo uma conexão profunda entre sua infância e o mistério do tijolo preto.

A podcaster confronta Floramae, questionando se ela trabalhava para seus pais. Surpreendentemente, é a filha de Floramae, Paula, quem atende à ligação, acusando

a podcaster de ter arruinado sua vida ao expor a situação dos móveis. Paula alega que a podcaster está com ciúmes dela porque seus pais costumavam fazer favores

especiais para Paula. Em seguida, a podcaster recebe uma ligação de seu pai, que revela que foi a própria podcaster quem o informou sobre o incidente dos móveis

causado por Paula.

O pai também compartilha detalhes alarmantes sobre o comportamento violento de Paula, que resultou em sua demissão e em medidas legais sendo tomadas,

incluindo uma multa para a família. Floramae encontrou o tijolo preto na propriedade deles, inicialmente acreditando ser uma peça de arte de pouco valor, e o

pegou. Contudo, quando ficou evidente que o tijolo tinha mais significado do que imaginavam, ele foi confiscado. O pai da podcaster a aconselha a deixar o assunto

de lado, argumentando que todas as famílias têm segredos.

Abalada com a revelação, a podcaster decide excluir a gravação do episódio. Enquanto lida com uma dor de estômago intensa, ela corre para o banheiro e, para sua

surpresa, expulsa um tijolo preto de sua boca.

Explicação do final do filme O Podcast (2023):

A luta final representa a batalha do podcaster consigo mesmo ou uma luta contra uma força externa?

A podcaster, consumida pela raiva, decide destruir o tijolo. Para sua surpresa, pouco depois, o tijolo se transforma em uma cópia exata dela mesma. Tentando

entender o que está acontecendo, ela tenta conversar com a duplicata, mas o dispositivo de gravação é destruído no processo. Em um momento de pânico, a

podcaster foge para a floresta, seguida pela réplica.

Um confronto tenso se desenrola entre as duas, culminando em uma luta onde uma das podcasters acaba matando a outra. Abalada e confusa, a podcaster retorna à

gravação, anunciando que elas têm um segredo para compartilhar e são as únicas dispostas a revelá-lo, prometendo que isso mudará tudo quando for revelado.

O final do filme é propositalmente aberto, deixando aos espectadores uma ampla margem para interpretar a história de várias maneiras. A morte da duplicata pelo

podcaster pode ter múltiplos significados, incluindo a possibilidade de que ela tenha conseguido eliminar seu próprio eu egoísta e ciumento, como reconhecido por

Paula. Alternativamente, a cena pode sugerir que tudo foi uma alucinação, e ao confrontar e eliminar a duplicata, a podcaster conseguiu superar uma doença ou

conflito interno.

O filme explora diversas ideias ao longo de sua narrativa, e sua natureza aberta convida os espectadores a refletirem sobre os temas apresentados e a tirarem suaspróprias conclusões. Essa abertura para

interpretação adiciona camadas de profundidade à história e permite que cada espectador encontre significados pessoais na

trama.

As diversas interpretações sobre os tijolos pretos adicionam camadas de complexidade à narrativa. Uma possibilidade é que os tijolos sejam fruto da imaginação

coletiva e da disseminação de informações, tornando-os realidade através da crença das pessoas. Isso também levanta a questão de uma possível origem

extraterrestre, especialmente considerando as varreduras linguísticas que não correspondem a nenhum idioma terrestre.

Outra interpretação sugere que os tijolos pretos podem representar um transtorno mental ou uma doença, especialmente considerando que todos aqueles que os

receberam passaram por traumas ou processos de luto. O tijolo preto pode simbolizar a necessidade de eliminar aspectos negativos do próprio eu.

Uma abordagem mais cética sugere que toda a história pode ser vista como uma estratégia do podcaster, um ex-jornalista desesperado por reconhecimento e retorno

ao trabalho. Isso poderia ser interpretado como um esquema para obter fama e dinheiro, colocando em dúvida a veracidade de toda a situação.

No final, a interpretação fica a critério do espectador, permitindo que cada um escolha a explicação que mais ressoa com sua visão da história e do mundo.

O Podcast: Está disponível para transmissão no MAX.

6 respostas

  1. Acredito que o tijolo seja uma metáfora para a depressao. Todos que receberam o objeto realmente guardavam uma mágoa interna.
    Enquanto uns permanecem com a mágoa (não quebrando o tijolo), ela enfrentou, o que foi melhor apesar da dor e luta. Curti.

  2. É muito difícil eu não gostar de um filme, gosto de analisar de todas as maneiras possíveis e sempre estou aberta a interpretações diversas… achei esse filme péssimo

  3. Filme ruim demais. E ainda se apresenta como de “final aberto a interpretações”. Fraude. Shakespeare nunca escreveu algo aberto a interpretações. Histórias têm que ser contadas. Não é quem lê ou quem vê que tem que ajudar o autor a escrever a história.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verified by MonsterInsights